08 dezembro 2009

Preste atenção



Em certos momentos de nossas vidas somos pegos de surpresa. Nos momentos mais aflitos, quando nosso peito dói demais e nossa alma chora. É quando algo nos chama atenção, uma música, uma imagem, um olhar, um abraço, uma presença, uma criança que chora no frio. Seja o que for, isso nos toca e nos desperta, é nesse momento que nossa dor diminui e nossas lágrimas cessam, e percebemos que fazemos parte de algo maravilhoso.
É quando sorrimos entre lágrimas, olhamos a nossa volta e vemos que a beleza gratuita existe, que o amor é sim indispensável e infinito, que os amigos são insubstituíveis e inestimáveis, que a família faz parte nós e, quão sofremos quando a ferimos.
Passamos então a admirar o céu e conseguimos ver um sol poderoso brilhando, mesmo em meio a tempestade e sorrimos.
Nos sentimos leves, felizes, filhos, criador e criatura. Abraçamos a nós mesmos com ternura e compaixão. Olhamos nos espelho e vemos alegria e cumplicidade com a nossa morada, nosso corpo.
Com os olhos marejados, olhar perdido no horizonte azul sem fim, sentimos uma força indestrutível, quase incontrolável, surge a vontade de correr o mundo, gritar alto para que o universo saiba da felicidade em plenitude.
Pequenas coisas, curtos momentos ou instantes que podem preencher nosso coração pela vida toda. Nossa longa caminhada com destino à unidade. Eu, você, ele, todos nós numa única freqüência.
Passamos a vida inteira presos a futilidades e convenções, e isso pode nos cegar ou quem sabe anular. Amargurados, cultivamos mágoas por até décadas sem fim.
Passamos a vida inteira tentando descobrir quem realmente somos e, morremos sendo aquilo que os outros gostariam que fossemos, sem personalidade ou individualidade, apenas uma cópia, um algarismo, um dígito simplesmente, só mais um.
Abra os olhos, preste atenção! Há algo maravilhoso lá fora esperando por você. Seja um e seja todos! Não se envergonhe dos seus erros. As lágrimas são pontes que cruzam abismos. Ouça, observe, sinta, fale, absorva, perceba.
Não se feche em uma redoma, abra a janela e deixe a luz entrar, invadir sua casa e sua pele. Faça parte do todo. Compartilhe.
Praticar auto-piedade pode até aliviar a dor, mas nunca será a solução do problema.
Não se esqueça, você nunca está sozinho, sempre haverá alguém que nos ame e nos queira bem independente de nossos defeitos e erros, é só prestar atenção.
Quanto mais tortuoso é o caminho, mais gratificante é a chegada. Ame-se, cuide-se, respeite-se, você é a sua morada, seu palácio e sua fortaleza. Use mais os olhos e sua percepção e nunca, nunca se esqueça que: há algo maravilhoso lá fora, é só prestar atenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário