30 dezembro 2010

Ter Esperança


Ter Esperança é abrir os olhos em um dia de sol e sorrir,
É caminhar descalço sobre a grama úmida e sentir,
É mergulhar nas águas claras do mar e sorrir,
É olhar-se no espelho e se amar,
É perder e ainda assim sorrir.

Ter esperança é chorar quando o que mais se quer é sorrir,
É caminhar sem destino certo para seguir,
É abrir os olhos quando o amor, finalmente, chegar,
É olhar a lua querendo ser uma estrela,
É agradecer por tudo que se tem quando na realidade, não se tem nada.
É contentar-se com a mera lembrança de que um dia amou e foi amado.

Ter esperança é entregar-se ao ideal que bem entender e confiar.,
É ser humilhado, traído, ferido e perdoar,
É defender aquilo que acredita,
É ver um pôr-do-sol e se emocionar,
É olhar para o lado antes de ferir.

Ter esperança é sentir-se iluminado mesmo quando estiver na mais completa escuridão,
É respirar fundo antes de conjurar qualquer ofensa,
É saber que não estamos sozinhos, muito menos abandonados,
É esperar que depois de uma noite chuvosa, pode vir uma manhã de sol,

Ter esperança é ter consciência que, mesmo na fraqueza, teremos força para lutar,
É proteger-se do mal que você mesmo pode causar,
É cair e sorrir,
É dar o braço quando só pedirem a mão,
É amar a quem nos odeia,
É ter consciência que existe um "sim" quando todos dizem "não",
e que existem um "não" quando todos dizem "sim".
É olhar para o céu desejando subir,
É entender a morte sabendo que existe a vida,
É começar do zero e sorrir,
É ganhar e dividir,
Ter esperança é voltar-se ao Criador e agradecer por Ele mesmo existir

27 dezembro 2010

O Novo


    Chega um dia em nossas vidas que tudo parece mudar e sentimos medo. O novo chega, assim sem ser convidado, desconhecido, como uma visita indesejada que teima em não ir embora.
    O novo é esperança e desespero, chega sempre quando a vida parece meio obstruída, sem saída, sem opções. Tememos sempre fazer a escolha errada, a decisão mal tomada é conseqüência arcada,
    É como força do destino, impossível fugir. às vezes o novo chega através de uma palavra de alguém que admiramos, às vezes vem de repente mesmo.
    Porém, o novo é sempre bem vindo, carregado de horizontes e oportunidades, alegrias e aprendizados e é claro, tentações.
    Deveríamos receber o novo como quem recebe a brisa numa tarde de verão, de braços abertos e olhos fechados, não há maneira melhor de senti-lo.
    O novo nos dá fôlego, nos dá força, nos revigora, nos dá luz em caminhos, muitas vezes, tão obscuros.
    Não tema o novo, recebe sorrindo e quando ele não vier busque-o em tudo que o cerca e o encontrará, lindo, esperando por você.
    Desfrutemos do novo como quem desfruta uma caminhada na areia da praia, como quem desfruta um bom livro, uma música, uma gargalhada solta.
    O novo é maravilhoso como o sol que entra pela janela ao amanhecer, nos aquece, ao corpo e a alma, nos traz felicidade.
    Inspire o novo como se inspirasse o oxigênio, ele é assim mesmo, toma conta dos nossos poros, invadindo nossas células e mente, fundamental para nos manter vivos.
    O novo é magnífico como a água que sacia nossa sede, lava nossa alma.
    O novo é belo, surpreendente e magnânimo.
    Para mim o novo chegou ontem, já não é mais tão novo e mesmo assim ainda me faz feliz, cheio de planos, idéias e sonhos.
    Alias, o novo é um sonho e talvez para alguns o único que, entre tantos outros, vai realmente se tornar realidade.
    O novo é sempre novidade, seja para os mais novos, seja para os mais velhos.
    O novo sempre vem, de novo.

26 dezembro 2010

Eu Quero é Viver


    Sinto repulsa pela sociedade e seus costumes. Homens de terno e gravata, mulheres de tailleur em tons pastéis e cores cítricas me causa náuseas. Seus filhinhos bonitinho, loirinhos, educadinhos, perfeitinhos... Que gente podre.
    Me deixem em paz com meu cigarro e minha bebida alcoólica aqui no meu quarto sujo, cheio de bitucas espalhadas pelo chão e copos quebrados. Eu sou assim, eu odeio a classe média.
    Pessoinhas felizinhas com suas opiniões pseudo-intelectualizadas. Adoro tragar depois de uma boa dose de vodka, pinga, uísque ou qualquer coisa com alto teor alcoólico seja lá qual for a hora do dia.
    Por que eu não posso falar de boca cheia? Eu quero fazer barulho quando tomar sopa, quero cuspir no chão, quero cutucar meu nariz, coçar minha cabeça, quero falar alto, quero chutar macumba.
    Danem-se os amantes do cinema mudo, eu gosto de expressão verbal, gosto de barulho. Gosto de sentar com as pernas abertas. E daí que a minha calcinha está aparecendo? E daí que meu sutião está velho? E daí que tem um furo na minha blusa?
    Quando e quem determinou o que é certo ou errado? Me deixem fumar meu cigarro, porra! Me dá mais uma dose. Quero beber até vomitar no seu tapete persa, depois suas empregadas limpam.
    Não quero saber de nada que seja moralizado, sou a favor do politicamente incorreto, do não ortodoxo. Do incômodo, do perturbador, do desconfortável. Sou mesmo do contra. E daí?
    Eu gosto mesmo é de xingar os mendigos, ofender as vagabundas, humilhar os riquinhos. Meu cigarro me conforta, adoro imaginar toda aquela fumaça tóxica entrando em meus pulmões e deteriorando o meu organismo, vai tudo para o buraco mesmo. Por que eu me importaria?
    Fiquem vocês com suas lesmas francesas, seus ovos de peixe podre, seus charutos fálicos, seu mundinho felizinho.
    Eu quero é viver, quero sentir a vida correndo na minha veia, quero me sentir viva. Quero feder, quero me machucar, cair, levantar, correr, andar, pular, subir e descer.
    Não quero meu cabelo liso, nem ondulado, nem cacheado, eu nem quero ter cabelo. Não preciso de cabelo para viver.
    Álias, para viver eu só preciso de vida, e para morrer também, então, o que eu quero é viver.

24 dezembro 2010

Ninguém


Ninguém além de mim mesmo, e somente EU, sabe como realmente me sinto.
Ninguém sabe a dor que eu carrego dos erros que cometi.
Ninguém sabe o quão doloroso é pra mim abrir um simples sorriso.
Ninguém sabe o ser humano triste e acanhado que me tornei
depois de tantos anos de agruras.
Niguém além de mim me conhece da maneira como realmente sou.
Triste, solitário, frio, amargurado, vivendo por viver, apenas um dia após o outro, e outro,
e outro e mais outro.

Culpa da redoma em que me enfiei e não encontro mais a saída,
arranho o vidro e só consigo sangrar meus dedos,
e as lágrimas de sangue e dor que escorrem dos meus olhos cansados.
Minha alma cansada, meu corpo saturado, minha vida estragada.

É tristeza demais pra uma única vida... Aaaaaaaaaaaah que vontade de gritar CARAAALHOOO, PUTA QUE PARIU, mandar tudo e todos para casa do caralho.

Odeio minha vida, odeio o ser humano que me tornei com o passar dos anos,
só ódio e amargura se passa pela minha mente e meu coração,
se é que posso chamar isso que tenho no peito de coração.
Para mim é apenas uma pedra que pulsa, pulsa, pulsa, mas queria que parasse.

19 dezembro 2010

O Passado


Meu passado! Será que todos os passados são tão obscuros quanto o meu? Isso eu nunca vou saber.
Me incomoda olhar para o meu passado, tão enegrecido, cheio de falhas, ilusões, dor e mágoa, muita mágoa.
Como acertar sem um dia falhar?
Como saber o que real, sem nunca ter vivido em ilusões?
Como saber o valor da felicidade, sem nunca ter sido triste?
Como perdoar sem nunca ter sido ofendido?
Percebe agora onde eu quero chegar?

Certo dia alguém me disse: Triste do homem que vive do passado.
Outro alguém me disse: Não se prenda ao que passou, pois se passou é porque era para ser passado, e se é passado é porque não era para ser presente.
Levei muito tempo para entender o significado do que me foi dito.
Use seu passado para aprender a viver o presente e preparar-se para o futuro.

Ainda me envergonho do meu passado.
Qual o ser não tem um segredo sujo do seu passado guardado à sete chaves?
Daqueles que não contamos nem à nossa própria sombra?
O passado nos persegue, não há como nem para onde fugir. Está impregnado em nós como fedor de esgoto.
Nos tortura, nos consome, no corrói.

Por muito tempo me debati tentando me livrar do que passou. Pura perda de tempo.
O segredo é desvendar a mensagem oculta incrustada no passado e aprender com ela.
Porém, não devemos esquecer que o passado nos reserva surpresas para o presente que no passado, era futuro.

Hoje, respeito meu passado, afinal, sem ele eu não seria a pessoa que me tornei no presente.
Agora, só falta saber quem eu me tornei.

Meus Sentimentos


    Quando caminhamos só tudo parece mais escuro e difícil. Todos os problemas parecem insolúveis. Todas as estradas parecem não levar à lugar algum. Nos sentimos frageís e subservientes, suscetíveis a angústias, mágoas e lágrimas.
    Até que certo dia nos surge alguém e esse alguém nos alegra e nos ilumina, nos conforta e nos desafia, e novamente nos torna frágeis e suscetíveis, desta vez por motivos melhores: o amor e a saudade.
    Muitas pessoas se perguntam em que momento começamos a amar, ninguém sabe ao certo. Eu acho que começamos a amar quando sentimos que a vida seria desperdício se não estivéssemos lado a lado, juntos realmente de certa pessoa; quando passamos a pensar por dois e para os dois; quando de repente, assim por acaso sentimos que existe a possibilidade da distância e da solidão. E principalmente quando vemos quem amamos afundado em pensamentos distantes, perdido e angustiado, desesperado e com medo. É nesta hora que passamos a ver quão imenso é o sentimos que nutrimos, que pode até ser chamado de "amor".
    Mediante a tudo isso descrito, eu sei que amo. Sofro quando você sofre, me alegro quando você sorri e choro quando você está distante, levado por sombras e fantasmas de um passado, coisas com as quais eu não posso e nem consigo lutar contra.
    Glória e felicidade maior seria se eu libertá-lo, ou ao menos, aliviasse seus temores afastando seus fantasmas.
    Prometi ser merecedor de sua confiança para que um dia você possa dividir comigo tudo aquilo que o perturba e te persegue. Apenas uma certeza me toma preenchendo as lacunas do passado, a certeza que eu te amo, você acreditando ou não.
    Sinta-se amado, afinal, não há benção maior. Apenas imploro, por mais difícil que seja, acredite, confie no meu sentimento. Ele é imutável.
    Por mais que outros tenham te ferido, magoado ou enganado, livre-se dos traumas e medos do passado. Creia que meu amor, carinho e dedicação por você são repletos e cobertos de sinceridade.
    Quando transpassei meus pensamentos e sentimentos para este papel, você estava tão tomado pelo medo, angústia e escuridão e até mesmo lágrimas que eu temia por tudo. Espero com toda fé, que as palavras que lhe dedico possam, de alguma maneira, surtir efeito e que você consiga sorrir.
   Seu sorriso, junto ao brilho dos seus olhos, iluminarão nossa caminhada que tem sido tão árdua.
   O sentimento que lateja dentro de mim eu transformei em três palavras: EU TE AMO!
   Acredite e confie!

08 dezembro 2010

Minha Rainha!


Minha rainha, eu não te odeio. Raiva não é o sentimento que permeia meu peito agora, seria insuficiente e infundado. Digo que, à partir daquele exato momento quando tudo se desvendou diante de meus olhos como um véu que é tirado, o único sentimento que se sobressaltou foi de tristeza. Uma tristeza profunda, rispida, seca, cortante e marcante por um longo tempo.

Minha fé, minha dedicação e meu amor por você e por tudo que pudesse fazer parte de seu Universo sempre foram reais e palpáveis, e principalmente inquestionáveis. Achei realmente que tudo o que me foi imposto foi desnecessário e até que eu consiga enxerga, ou que me seja mostrado que eu estava errado, vou continuar mantendo minha opinião.

Não existe palavra neste mundo, seja lá em que língua for que possa descrever o amor e a felicidade que eu sentia nos momentos em que estava próximo a mim. Sempre aberto a você e às suas solicitações, imposições  e decisões, mas desta vez foi demais. O baque foi forte demais e sofro calado, dia após dia, hora após hora, minuto após minuto, segundo por segundo essa tristeza me atormenta e me corrói as vísceras.

Hoje, perante ao céu, ao inferno e diante de todas as ésferas dimensionais possíveis e existentes no Universo, eu afirmo que meu único sentimento é de tristeza. Rogo à quem quer que seja para que me mostre que eu estou errado, que me dê çforça para superar mais esta abrupta ruptura de laços carnais, espirituais e dimensonais. Estou aqui, só esperando, só, só e tão somente só e sozinho.

Porém, de uma coisa, minha Rainha, não se deve duvidar. Que é do meu amor por ti!