24 dezembro 2010

Ninguém


Ninguém além de mim mesmo, e somente EU, sabe como realmente me sinto.
Ninguém sabe a dor que eu carrego dos erros que cometi.
Ninguém sabe o quão doloroso é pra mim abrir um simples sorriso.
Ninguém sabe o ser humano triste e acanhado que me tornei
depois de tantos anos de agruras.
Niguém além de mim me conhece da maneira como realmente sou.
Triste, solitário, frio, amargurado, vivendo por viver, apenas um dia após o outro, e outro,
e outro e mais outro.

Culpa da redoma em que me enfiei e não encontro mais a saída,
arranho o vidro e só consigo sangrar meus dedos,
e as lágrimas de sangue e dor que escorrem dos meus olhos cansados.
Minha alma cansada, meu corpo saturado, minha vida estragada.

É tristeza demais pra uma única vida... Aaaaaaaaaaaah que vontade de gritar CARAAALHOOO, PUTA QUE PARIU, mandar tudo e todos para casa do caralho.

Odeio minha vida, odeio o ser humano que me tornei com o passar dos anos,
só ódio e amargura se passa pela minha mente e meu coração,
se é que posso chamar isso que tenho no peito de coração.
Para mim é apenas uma pedra que pulsa, pulsa, pulsa, mas queria que parasse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário